Hiper-tensão: Quando o estresse vira doença?

Não! Isso não é uma chamada de reality show de aventura na TV, mas um chamado de cuidado para sua saúde. O nível e a variabilidade de pressão arterial sofrem importantes influências genéticas e individuais, associadas com fatores ambientais.  Um dos fatores ambientais é o estresse que pode levar a altos níveis de pressão arterial e causar uma doença chamada hipertensão.
Existem inúmeros fatores estressantes no dia a dia e categorizar um fator como estressante depende da pessoa que esta passando pelo evento (problema) considerado estressor ou não. Para algumas pessoas os incômodos diários como perder uma chave e a espera na fila de bancos podem ser estressores. Já eventos como perda de emprego, morte de uma pessoa querida ou doença séria costumam ser mais estressantes para maioria dos indivíduos. Poderia aqui citar inúmeros fatores estressantes como a competição no mercado de trabalho, falta de emprego, doenças, violência urbana e falta de tempo, mas o que mais importa é o quanto essas situações afetam uma pessoa e qual sua capacidade de enfrentamento. Portanto é importante ressaltar que o grau de ameaça que um evento representa é muito mais uma função do significado que a pessoa  lhe atribui e reage a ele, do que o evento por si só.
Então o que faz uma pessoa perceber os eventos como estressores e outras não?
O que diferencia o modo de como vão classificar as situações como estressoras são as experiências de aprendizagem pelas quais passou no desenvolvimento da sua estrutura orgânica e cognitiva, bem como o ambiente sociocultural que esta inserido e os conflitos internos que configuram o perfil da personalidade e esta mediará o evento e sua respectiva habilidade de enfrenta-lo.
A hipertensão aparece associada ao estresse quando em toda e qualquer situação percebida como ameaçadora, o corpo do indivíduo responde preparando-se automaticamente para lidar com a emergência ativando a resposta de luta ou fuga. Assim aumenta rapidamente o metabolismo corporal e respostas fisiológicas como aumento da taxa cardíaca, da pressão sanguínea, da pressão respiratória e da tensão muscular; apesar dessa ativação ser um mecanismo adaptativo importante para a luta, nos tempos modernos não se trata mais de uma resposta adequada para a grande maioria de fontes de estresse, pois a constante exposição e excitação fisiológica continuada pode levar o indivíduo à fase de exaustão, prejudicando também outros tipos de defesa. O estresse torna-se crônico e a pessoa vulnerável a doenças como a úlceras, pressão alta e doenças cardíacas, além de prejudicar o sistema de defesa do corpo.
Vimos às defesas fisiológicas, certo? Agora as principais reações psicológicas ao estresse são a ansiedade que é a resposta mais comum ao estresse na qual o individuo fica com uma apreensão ao futuro, tensão e medo em vários graus; raiva e agressão ligadas à frustração; já a apatia e depressão ocorrem quando a pessoa não consegue enfrentar a situação continuada; aspectos cognitivos ficam prejudicados quando a tensão esta muito elevada.
Então que tal começar a perceber quais as atribuições você dá as situações do dia a dia? Como lida com as frustrações?  O quanto fica ansioso, com raiva ou agressivo? Há quanto tempo vem apresentando essas reações? Como esta a alimentação, pratica de exercícios físicos e lazer? E como vai a pressão?
Por isso é muito importante o cuidado com a saúde, pratica de exercícios físicos, boa alimentação, pratica de atividades de lazer, de relaxamento  e  de atividades que dão prazer a vida e não tensão, muito menos uma “hipertensão”!
Este artigo foi escrito para o Treino&Cia por Fábia Tunísia Alves Xavier, para dar continuidade à série sobre HIPERTENSÃO ARTERIAL. Fábia Tunisia é psicóloga Especialista em Urgência e Emergência pela Residência Multiprofissional em Saúde do HC-UFU. Para maiores informações entre em contato com a Clínica Espaço Terapêutico Acolher (34-3083-6720).
Compartilhe

5 comentários

  1. Gabriella Xavier

    Tenho certeza que este artigo vai ajudar muita gente..Parabénss precisamos de informações como esta no nosso dia-a-dia..

  2. Guilherme Willian

    Putz agora que descobri que sou estressado posso matar meu chefe??

    brincadeira, não quero perder o trabalho :P

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>